Notícias

FB
30/07/2020 Senar-RS lança treinamento semipresencial de operação de drones O Senar-RS, acompanhando a evolução da agropecuária e o desenvolvimento de novas ferramentas para o campo, está lançando o treinamento de operação de drones. O objetivo é levar ao produtor informações sobre os cuidados na operação, componentes e funcionalidades do equipamento, as vantagens e melhores formas de utilização na propriedade.
   Em formato semipresencial, o treinamento atende de oito a dez participantes por turma. A carga horário total é de 14 horas. O módulo EaD tem dez horas, sendo divididas em duas horas por dia, nos turnos da manhã ou tarde. A aula prática de quatro horas é individual, sendo o aluno responsável por disponibilizar o local adequado. Para participar, é necessário ter 18 anos completo, ser alfabetizado, ter noções básicas de informática, estar envolvido com atividades rurais e ter computador, tablet ou telefone celular e acesso à internet para as aulas à distância.
   O uso de drones vem ganhando força no campo e as aplicações podem ser diversas. A análise da plantação é uma das mais populares. O aparelho ajuda a detectar pragas e doenças, falhas no plantio, excesso de irrigação entre outros. O trabalho é realizado com o suporte de softwares que analisam as imagens captadas. Ao permitir uma visão do alto, ele também auxilia na demarcação do plantio ao permitir identificar, deforma fácil e ágil, quais as áreas estão mais propícias para a semeadura.
   Ao realizar sobrevoos das lavouras regularmente, é possível armazenar as imagens para uma comparação cronológica e acompanhar o desenvolvimento da safra. Ainda em desenvolvimento, a pulverização já surge como mais uma importante utilização. Alguns protótipos já conseguem embarcar até 18 litros de produtos químicos. A vantagem está numa aplicação mais próxima, garantindo eficiência e menos dispendiosa, já que pode ser feito diretamente nas áreas afetadas.
   O acompanhamento das pastagens é mais uma possibilidade oferecida pelos drones. Do alto é possível avaliar as condições dos pastos e identificar quais precisam ser reformados e quais estão bons para uso. Originalmente criados para vigilância de governos em áreas de conflito e regiões vulneráveis de fronteira, podem ter o mesmo uso nas propriedades, especialmente por serem pequenos e ágeis.
   A alta qualidade das imagens capturadas auxiliam na telemetria das propriedades. Os equipamentos permitem o monitoramento dos rebanhos, incluindo a possibilidade de contagem sem a necessidade de deslocamento de pessoal, além de facilitar a localização de animais perdidos. Conforme o coordenador de Formação Profissional Rural do Senar-RS, Umberto de Moraes, "Essa ferramenta tecnológica surgiu para facilitar e impulsionar cada vez mais resultados para o agricultor e os pecuaristas. Ele vem se popularizando muito em fazendas", comenta.
   Os drones não são tripulados e são guiados por controle remoto, muitas vezes o próprio smartphone do operador realiza a tarefa por meio de aplicativo. Munidos com câmeras, geram imagens que permite obter, em tempo real, informações valiosas para o produtor rural em relação a suas lavouras e animais. Outra vantagem está em facilitar a chegada em lugares de difícil acesso na propriedade. "Ele oferece uma praticidade enorme, é possível controlar o equipamento de uma certa distância. Ao sobrevoar, pelas suas câmeras, é possível ver o que está acontecendo nas propriedades rurais", explica Moraes.

Busca

Busque sua notícia por período

De

Até