Notícias

FB
16/12/2019 BioIn vence primeira edição do HackatAgro: Hackathon AgroUp Competição de inovação entre startups aconteceu de sexta a domingo, no Tecnopuc, em Porto Alegre Uma iniciativa voltada para criar e apresentar soluções de tecnologia para problemas reais do agronegócio. Assim foi o primeiro HackatAgro: Hackathon AgroUp, desenvolvido pela Senar-RS em parceria com a Farsul, Senar/CNA e Softex, que terminou neste domingo (15/12), no Tecnopuc, em Porto Alegre. O Rio Grande do Sul é o representante da região sul e um dos cincos estados do Brasil a realizar este evento.
   Durante três dias, 12 startups, motivadas pelas principais "dores" dos produtores rurais, criaram e apresentaram suas propostas. Foram escolhidos quatro desafios: custos de produção; segurança; comercialização; doenças, pragas e invasoras. As soluções precisavam estar voltadas às áreas de grãos, bovinocultura de leite e corte ou fruticultura.
   A grande vencedora do primeiro HackatAgro: Hackathon AgroUp foi a BioIn, que levou como prêmio um cheque de R$ 8 mil. A empresa, de Porto Alegre, trabalha com controle biológico de pragas e apresentou uma micro-vespa que pode reduzir em até 56% os gastos com insumos na propriedade rural. "A gente ainda não tinha conseguido criar um modelo de negócio que entregasse isso de forma sustentável de baixo custo para o produtor. Com todo esse processo, conseguimos validar, inclusive com agricultores, essa solução", explica a CEO da BioIn, Camila Vargas.
   O segundo lugar ficou com a Avelã Public Affairs, e o terceiro lugar foi para a Elysios, ambas de Porto Alegre. As empresas foram premiadas com R$ 4 mil e R$ 2 mil, respectivamente.

   "Esse foi primeiro evento de inovação que fizemos nesse formato, e o resultado foi realmente além do esperado. Surgiram diferentes ideias, com soluções muito boas, que o pessoal poderá seguir desenvolvendo e incorporando em seus negócios", avalia o coordenador do escritório regional do AgroUp, Renan dos Santos.
   Conforme Superintendente do Senar-RS, Eduardo Condorelli, o HackatAgro foi mais uma etapa de um trabalho de aproximação fomentado pela entidade entre produtores rurais com dificuldades reais e pessoas que têm a inovação em seu DNA, com capacidade intelectual para gerar soluções a partir de formulações e ideias inovadoras.
   "Queremos promover o empreendedorismo para trazer soluções ao agronegócio, estimulando um ambiente de inovação no Rio Grande do Sul para melhorar a produção, eficiência e renda dos nosso produtores rurais", complementa coordenador da Comissão de Inovação da Farsul, Donário Lopes de Almeida.

Boas ideias para o mercado

O HackatAgro: Hackathon AgroUp foi um momento para muito networking e interação de diferentes áreas de atuação do mercado de tecnologia. O presidente da Federarroz, Alexandre Velho, foi convidado para ser mentor em comercialização na área de grãos e trouxe algumas dificuldades que vive como produtor como a exportação e o alto custo de produção. "Saio daqui entusiasmado pelo vasto campo que tem para desenvolver sistemas e soluções para que os produtores tenham mais segurança na atividade para resolução desses problemas", destaca.
   A advogada e produtora rural Antonia Scalzilli, por exemplo, foi mentora de três equipes ao longo dos três dias de imersão. Para ela, todos tiveram propostas muito boas e diferentes e essa troca de conhecimento contribui para o crescimento de todos. "Vi ideias muito ricas e merecedoras de prêmio, mas o mercado automaticamente seleciona as boas ideias", sugere Scalzilli.
   "Tivemos uma grande integração entre o meio rural com as suas dificuldades e suas realidades com aqueles que são desenvolvedores de soluções não só para este meio", finaliza Condorelli.

Fonte: Imprensa Sistema Farsul

Busca

Busque sua notícia por período

De

Até