Notícias

FB
17/01/2020 Agrinho 2019 aproxima escolas das comunidades Projeto vencedor em Experiência Pedagógica, da Região Planalto, integra alunos e moradores de município O programa Agrinho 2019 teve a participação de 325 mil alunos e 22 mil professores de 2.280 escolas públicas do Rio Grande do Sul. Utilizando a temática do Meio Ambiente, alguns trabalhos ultrapassaram o perímetro escolar, chegando a outros locais dos municípios, incluindo o gabinete do Prefeito e a Câmara de Vereadores. É o caso do 1º Lugar na categoria Experiência Pedagógica da Região Planalto, na Fase Regional, com a professora Daiane de Oliveira Morás e seus 22 alunos de Educação Básica da E.M.E.I. Amália Brezolin Bambini, em Espumoso. O susto inicial de um enxame acabou se transformando em curiosidade sobre as abelhas.
   A professora explicou que a sala de aula da turma é muito próxima das árvores em frente à escola. Quando o enxame apareceu as funcionárias correram para fechar as janelas e garantir a segurança das crianças. A movimentação chamou a atenção dos alunos. "Logo eles começaram a perguntar de onde vinham as abelhas, por que faziam barulho, entre outras coisas", lembra Daiane, que é professora de Educação Básica há quinze anos. Ao perceber o interesse dos alunos, ela começou a pesquisar sobre o assunto e foi adaptando o aprendizado das crianças com o planejamento escolar, garantindo o conteúdo previsto.
   A primeira metade do ano letivo foi dedicada à pesquisa. Para isso, foram utilizados diversos materiais, incluindo vídeos com desenhos animados. Em duas ocasiões, apicultores estiveram na sala de aula para tirar dúvidas das crianças. A região foi uma das que registrou mortandade de abelhas no último ano e o tema esteve na pauta das perguntas dos alunos. No segundo semestre, a turma cruzou os portões da escola e partiu para a ação. O grupo circulou pelo comércio e órgãos públicos de Espumoso para conscientizar a população da importância das abelhas para o meio ambiente e a importância de sua existência no ecossistema. "Ficamos conhecidos na cidade, chamou a atenção crianças de quatro anos defendendo a preservação das abelhas", relata Daiane. O resultado foi a participação em uma sessão na Câmara dos Vereadores do município. Eles também foram recebidos pelo prefeito da cidade e protocolaram o pedido de plantio de flores para colaborar na polinização.
   As atividades também contaram com trabalhos com sucatas e exposições. Daiane destaca que todas as ações partiram dos alunos e seu papel foi de orientá-los. "Mas, é importante ressaltar o apoio do corpo diretivo da escola e das famílias dos alunos, a gente não faz nada sozinha, essa participação é muito importante", afirma. Ser premiada no programa Agrinho não é novidade para Daiane. Em 2014, uma aluna da professora ficou em 1º Lugar na categoria Desenho, na Fase Regional. No ano seguinte, a própria Daiane ficou em 1º Lugar na Fase Regional e 2º Lugar na Fase Estadual, na categoria Experiência Pedagógica.
   Esta foi a primeira edição do Agrinho com Andrea Krug como gestora. Ela vê no programa o fechamento de um elo realizado pelo Senar-RS. "Trabalhamos toda a família: as crianças e adolescentes no Programa Agrinho e os adultos através dos cursos, treinamentos, programas e  a Assistência Técnica e Gerencial. "Trabalhamos com a ideia de inovação e ferramentas para auxiliar o produtor rural por meio das atividades que o Senar oferece, a fim de que o campo se fortaleça, se desenvolva e cresça", conclui. A novidade deste ano foi que todo o material impresso de divulgação e didático utilizado no programa, também foi disponibilizado no site do Senar-RS com o objetivo de estimular os professores a utilizar o recurso, reduzindo o uso do papel. A maioria dos vencedores da edição Agrinho 2019, já recebeu seus prêmios. As últimas entregas já estão agendadas com as escolas para o início do ano letivo.

Fonte: Assessoria de Imprensa Farsul

Busca

Busque sua notícia por período

De

Até